domingo, 30 de janeiro de 2011

Vou confessar

"Quero ser o seu mundo, não redondo, 

Mas em forma de coração. 
Ser o chão onde pisas o seu céu, seu ar. 
Quero o brilho ofuscante das estrelas, 
Para iluminar todo o seu ser."
ANACAROLINALOIRAMAR
Vou confessar, 
Confesso que já comi giz no quadro escuro da minha alma
Confesso que já passei Mertiolate nas feridas que meu coração sofreu
Confesso padre, que já me morri de amores, quando o Vinicius me compôs.
Confesso também que já Dancei na Chuva quando as flores do Inverno me chamaram 
pra sorrir.
Ah, desculpe-me, esqueci de confessar que já brinquei com a alma decadente daquele poeta sentado 
na esquina de minha rua.
O mais terrível de lembrar é que fui poeta também, quando amei a mesma alma que caçoei.
Confesso que a minha alma se transformou em som. 
Saí cantando, minha voz ganhou forma. Formato de coisas. 
Me coisando como Manoel de Barros.
Saí voando, minhas árvores, voaram comigo.
Comprei minha alma para mim, seu padre.
Ela agora me pertence, faço dela o que quiser.
Então, prepare-se  padre. 
Você ainda vai ouvir falar dessa mulher.


(Márcia Mascarenhas)

3 comentários:

Priscilla Cavazzotto disse...

Confesso que a minha alma se transformou em som.

A minha também.
Um lindo dia!
Beijos meus

Professor Josimar disse...

Gostei do seu blog. è bem "vivo" e atraente. Parabéns. Resolvi segui-lo. Siga-me tambem para ficarmos em sintonia cultural. Abraço.

sim only plans disse...

it is very intresting sentences in this.....