domingo, 28 de setembro de 2008

Mais Fotos da R.U.



No dia 25 de setembro de 2008 os estudantes se mobilizaram e ocuparam o restaurante da Universidade Estadual de Santa Cruz, em busca de assistencia estudantil. Os alunos só sairão de lá quando o reitor, começar a colocar "ordem" na Univerisdade, e cumprir com os pedidos dos alunos, que a muito reclamam por mudanças, que pouco a pouco foram se tornando de necessidade visivel a todos.
Um ocorrido a umas semanas passadas me chamou mais atenção ainda para as reivindicações que os alunos exigem. Estava eu e um amigo no campo ao lado do RU, quando resolvemos descer, haviam me contado que um amigo meu tinha passado mal. Ligaram para os bombeiros, que vieram com uma solução nada agradável de pegar esse meu amigo e levar para a pista e pedir carona pra alguém. Que esse alguém levaria esse meu amigo ao medico. Mas daqui que agente pegasse carona e fosse pro hospital, porra vei, meu amigo já tinha morrido!
Juro que me deu vontade de matar esse miserável(AH! se ele estivesse na minha frente!)
Foi então que Sinthia(colega do curso de Filosofia) teve a ideia de chamar o pessoal de medicina , veio um medico professor e seus alunos, todos em defesa de Rilson, que estava com inicio de convulsão. Juro que me senti tão impotente diante daquela situação, ele quase morrendo e eu sem poder fazer nada!
Foi quando Karine(outra colega de curso) , disse que estava com carro e que levaria Rilson para Itabuna.
Ahh! Sem esquecer do detalhe , que já tínhamos ligado pro SAMU e eles ficaram na DIFÍCIL decisão de escolher de onde a porra do Samu ia sair (se de Itabuna ou de Ilhéus).
Então colocamos Rilson no carro de Karine e ficamos lá na UESC a espera de alguma noticia.
Quando o pior já tinha passado para nós, Rilson já estava indo pra Itabuna com segurança, foi que o Samu chegou!
Poxa, acho que nós alunos merecemos mais respeito. Somos alunos que estudamos muito para passar no vestibular, somos pessoas dignas, muitas trabalham pra se manter nos seus cursos e não são tratados bem. Precisamos ser ouvidos, precisamos ter voz!

Um comentário:

Bel disse...

Eita!
Sou a primeira a comentar aqui???

Esse tipo de revolta mora em cada um que passa por situação semelhante. Só não conhece o sentimento quem não viveu a agonia da impotência diante da perspectiva da morte de alguém ao seu lado.
Só não podemos é deixar que fique somente na revolta. É necessário que haja AÇÃO!

Beijo, querida!