quarta-feira, 21 de julho de 2010

Um amor assim, pra recordar

Odeio e amo os amores não correspondidos, eles são uma espécie de nutrientes destrutivos. Você se delicia com aquilo, nas suas horas poéticas, escreve, aguça sua inspiração, mas no fundo, aquilo é deteriorante, como os corantes mortais. Sempre fui a favor da entrega total no amor. Mas como se entregar a um amor que não te pertence? Isso aconteceu comigo, era uma criança. Eu tinha apenas 13 anos. Não sabia direito o que era amar, sonhava com um príncipe encantado. Que chegou, e chegou na hora errada, pois era esquisito esse meu príncipe. 7 anos mais velho. Que criança tola. Muito mais velho que eu. Eu criança. Nem sabia o que era amar. Queria aprender. Mas, mal sabia. Amar sem mensura. Foi isso que aconteceu. Pus-me a ama-lo demasiadamente. Ama-lo além de tudo. Ama-lo sem limites. Perdi meu chão . Durante o tempo que vivi esse amor. Se passou? Não sei. Mas relato aqui a minha perdição amorosa-platônica.
Houve um dia que eu estava em sala de aula, era segunda, dia dele dar aula. Eu sempre ansiosa e atenta a cada passo dele, pus-me a observa-lo chegar, colocar os livros na mesa e sentar-se, a piscar o olhos com tanta leveza e simplicidade que meus olhos nem isso fazia. Estava estática. O tempo havia parado, e eu, criança , deslumbrada pelos caminhos do amor. Esperava atenta que ele se pronunciasse, falasse , claro, comigo, me desse um "oi". E de fato, ele me deu o "oi" que eu tanto queria. E eu vibrei. Ele era meu amigo, antes de tudo, meu grande e fiel amigo. Brincavamos no intervalo, riamos ao descermos as escadarias da escola juntos. E eu queria mais. Era apenas uma criança. E continuava sendo apenas, sua amiga. Só que os anos se passaram. Nossas vidas tomaram rumos opostos, mas eu, infelizmente, não o esquecia. Não conseguia. Ligava sempre, não esquecia das datas importantes. Assim como ele não. Passaram-se os anos. Quando fiz meus 19 anos. Ele esqueceu do meu aniversario. Foi o pior dia da minha vida. Fiquei mal, como se tivesse engolido mil navalhas. Era terrível a sensação de ser esquecida pelo ente amado. era terrível a sensação de me perder nesses encantos terríveis. Ah e não se enganem, foi aos 19 anos mesmo. Por mais que vivesse outros amores. Amado outros homens, tido vivências amorosas lindas. Aos 19 anos, eu ainda o amava. Serio. Não sei como. Mas o amava. Então esse esquecimento se tornou rotina. 20 anos, eu ainda sofri, 21 anos... não sei. Não posso dizer que foi normal para mim que ele tenha esquecido. Foi um baque , não como os outros, pois eu havia, me libertado. ... É, eu me libertei!
Madrugada de 20 de Julho de 2010
Recebo uma mensagem, estranho. A essa hora da madrugada.
Li a mensagem, e no final o nome dele estampado. Dei um pulo da cama. Li e chorei.
Foi intenso. Apesar de tudo. Eu sei que o amo ainda. E tenho resquícios dele dentro de mim.
Mas a forma, a maneira de ama-lo que mudou.
Eu o amo,
Ele é meu grande amigo.
Márcia Mascarenhas
Leia e entenda que é para você!

3 comentários:

Elisiane Matos disse...

Encontrar-se como o amor pela primeira vez já um tanto desastroso, ainda mais quando ele ainda não plenamente correspondido, aí a tarefa fica trágica!!!!! Adoro sua maneira de pintar os sentimentos com cores fortes, vibrantes nos seus textos, é assim que tem que ser... É de se entregar o viver!!!!

Andreia Hernandes disse...

Querida apaixonada,
Tenho uma história muito parecida. Penso que o que cultivamos, em especial, é uma admiração, pois nosso referencial é mais velho, sábio, coisas que pessoas como nós parecem admirar mais do que o normal. Não que não seja amor, mas só posso te dizer uma coisa: essa pessoa passará, mas não o seu sentimento por pessoas como ela... Outros virão: mais velhos, talvez professores também...
Pode parecer que não, mas você volte e me diga, daqui a alguns anos... Outros virão... É uma coisa que você nunca deixará de ter. É sua característica agora.

Anônimo disse...

I'd say you need anchor text links to bring that traffic up a notch (or a grip). I Flash Flip, provide an xRumer service that can help you. Give me a hollar.

- Flash

google xrumer