domingo, 11 de abril de 2010

Meu vazio, sou eu

No meu quarto
Vazio,
Vazio de ideias
De sentidos..
Pensamentos aleatórios..
Essa merda me define.
Utilizando dessa palavra?
Tão sem sentido...
Pra definir o que?
To fazendo bem?
Mas não é só isso!
Eu preciso voar!
Voar ao além-infinito
Você sabe o que é isso?
Não, não sabe.
Pois não sabe qual a cor do som
do canto dos pássaros..
Que o Manoel insistia em sinestesiar
Não sabe, porque não esteve comigo
Quando eu decidi largar tudo pra ver o sol
nascer vermelho,
Não sabe porque não esteve comigo quando o galo
cantou e acordou o mundo inteiro,
Não sabe porque há outra vida embutida em sua vida
Que não há como negar, me maltrata por dentro
Sem nenhum acalento
Com as palavras eu quis expressar
O medo que tenho
De perder ou de ganhar
Não fico no meio do muro.
Não escolhi ser guiada no escuro.
Tenho olhos e sentidos,
Sei lutar.
Mas quando vejo que as cartas já estão dadas,
Muito bem embaralhadas, pelo jogador rival
Saio pra não me embolar por entre as cartas
Porque eu já sei bem o final.
(Márcia Mascarenhas)
Num momento não muito inspirador

3 comentários:

Joselito Otílio disse...

Muito lindo Márcia o teu blog! Parabéns pelos textos. Depois vou olhar com mais calma e comentar todos que eu gostar! bju e aproveita e conheça o meu tbem!
http://joselitootilio.blogspot.com/

Luciano disse...

Que maravilhaaaaa!!! Essa e' minha mah..! Beijo e saudade.

Iana Carolina disse...

Muito massa!